Artigos


Raiva humana não tem cura, mata!

É uma doença muito grave, que ataca os mamíferos, entre os quais o cão, gato, macaco, morcego, seres humanos etc.
O cão, por conviver conosco, tornou-se, juntamente com o gato, o mais perigoso transmissor dessa doença.
O vírus causador da raiva infecta, principalmente, a saliva do animal doente.
A transmissão se dá por contato, quando há uma solução de continuidade da nossa pele protetora: ferimentos, cortes, assaduras, queimaduras, arranhões etc.; ou por absorção, através das mucosas. Dessa forma, basta uma lambida nas mãos após o tratamento com manicura, ou simplesmente levar a mão à boca, para que se dê a contaminação da raiva.
Os sintomas só se apresentam após o prazo de oito a dez dias da contaminação. No inicio da doença, não se pode saber se o animal está contaminado.

Os cães infectados mordem, porque a raiva ataca o sistema nervoso, tornando-os medrosos e assustados. Como proceder em caso de mordida por animal suspeito de contaminação ou por animal desconhecido:
1 - NÃO MATAR O ANIMAL, SOB QUALQUER HIPÓTESE Para sua segurança, o agressor deve ser isolado e observado por dez dias, recebendo água e comida normalmente.
2 - LAVAR O FERIMENTO insistentemente, por diversas vezes, com sabão em barra, o mais grosseiro possível, esfregando o ferimento com uma escovinha e enxaguando em água corrente e abundante. Depois, desinfetar com água oxigenada e tratar com tintura de iodo. Além disso, recomenda-se não fechar o ferimento, mas mantê-lo aberto, em contato com o oxigênio.
3 - PROCURAR ORIENTAÇÃO imediata no Centro de Saúde do governo, mais próximo de sua residência.
4 - SE O ANIMAL MORRER durante o período de observação remova o corpo para exame num laboratório oficial do governo e procure imediatamente o Centro de Saúde. Para sua segurança, mantenha o telefone do Centro de Saúde na sua lista de emergência e confirme o número, pelo menos, uma vez por ano. No caso de acidente, as pessoas ficam nervosas e a confirmação é mais difícil.

Após o aparecimento dos sintomas, o prognóstico para a raiva humana é a morte. Em caso de contaminação, a vitima deve iniciar o tratamento o mais breve possível, completando-o sem abandoná-lo ou interrompê-lo.